THE DECLARATION OF APOSTOLO PAULO /A DECLARAÇÃO DO APOSTOLO PAULO.

 


ROMANOS 7

1 Porventura, ignorais, irmãos (pois falo aos que conhecem a lei), que a lei tem domínio sobre o homem toda a sua vida?

2 Ora, a mulher casada está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive; mas, se o mesmo morrer, desobrigada ficará da lei conjugal.

3 De sorte que será considerada adúltera se, vivendo ainda o marido, unir-se com outro homem; porém, se morrer o marido, estará livre da lei e não será adúltera se contrair novas núpcias.

4 Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que frutifiquemos para Deus.

5 Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei operavam em nossos membros, a fim de frutificarem para a morte.

6 Agora, porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra.

7 Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás.

8 Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda sorte de concupiscência; porque, sem lei, está morto o pecado.

9 Outrora, sem a lei, eu vivia; mas, sobrevindo o preceito, reviveu o pecado, e eu morri.

10 E o mandamento que me fora para vida, verifiquei que este mesmo se me tornou para morte.

11 Porque o pecado, prevalecendo-se do mandamento, pelo mesmo mandamento, me enganou e me matou.

12 Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom.

13 Acaso o bom se me tornou em morte? De modo nenhum! Pelo contrário, o pecado, para revelar-se como pecado, por meio de uma coisa boa, causou-me a morte, a fim de que, pelo mandamento, se mostrasse sobremaneira maligno.

14 Porque bem sabemos que a lei é espiritual; eu, todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado.

15 Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e sim o que detesto.

16 Ora, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.

17 Neste caso, quem faz isto já não sou eu, mas o pecado que habita em mim.

18 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo.

19 Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.

20 Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim.

21 Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal reside em mim.

22 Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus;

23 mas vejo, nos meus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus membros.

24 Desventurado homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?

25 Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado.

 

PERGUNTAS e RESPOSTAS.

 

P- Quem era o Apostolo Paulo.

 

r- O Apostolo Paulo era judeu da tribo de benjamim e cidadão romano. Tinha autoridade como chefe de exércitos, talvez centurião, mas estava no plano de Deus chamar para ser o imitador de Cristo. Estava entre os maiores teólogos da época. Se converteu ao cristianismo e foi o presidente universal da igreja primitiva. Foi o maior dos Apóstolos e recebeu instruções diretamente de Cristo ressuscitado, foi arrebatado até o terceiro céu e suas cartas estão sendo decifradas até o dia de hoje.

 

P- Por que Paulo fez essa declaração?

 

r- Paulo era preparado para deixar essa vida, pois, contemplou a vida no céu, amava muito a igreja e o que segurava Paulo a essa vida.

 

P – Paulo despreza o corpo e consente com a morte, por que?

 

r – Na verdade Paulo passou seu ministério na maioria encarcerado, Paulo por ser humano sentia na carne as mesmas necessidades fisiológicas de um homem normal, era solteiro ou talvez viúvo e havia uma batalha entranhada no interior de Paulo, estava privado aos direitos humanos dessa vida e padecia, uma grande razão para essa declaração.

 

P- Como entender esse conselho de Paulo? O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.  1 Tessalonicenses 5:23

 

r – Há formas diferentes de interpretar a santificação, somos tentados a pecar exatamente pela natureza pecaminosa do corpo, ser tentado não é estar em pecado, mas, sim o pecado sendo consumado passa a contaminar a alma que leva á condenação.

Leia o que escreveu o Apostolo Tiago: Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz.
Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.
Tiago 1:14,15.

 

Não caberia nesta postagem perguntas e respostas sobre o tema, na verdade cada ser humano tem uma condição para se manter longe do pecado, uns mais fortes, outros mais fracos. Quando fazemos o nosso máximo para confrontar a tentação sempre temos a ajuda do Espírito Santo. Os Apóstolos não foram melhores que nós nem por isso deveriam deixar de ensinar a necessidade da santificação.

 

Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo;
e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.
Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos.
Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade.
Aquele, entretanto, que guarda a sua palavra, nele, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus. Nisto sabemos que estamos nele:
aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou.

1 João 2:1-6

 

 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.